• Vinicius Marangoni

As diferenças entre alergias, intolerâncias e sensibilidades alimentares

Atualizado: Set 15


Comumente escutamos falar de alergias e intolerâncias alimentares. Apesar de alguns sintomas serem semelhantes, possuem origens diferentes e cada uma demanda de cuidados específicos. Além disso, existe a sensibilidade alimentar, um termo pouco comentado, mas que se manifesta de forma mais leve que a alergia e a intolerância, e está direcionada principalmente aos sintomas no sistema gastrointestinal. Agora, vamos abordar mais especificamente, quais as principais diferenças entre elas e como identificá-las, ou seja, entenda mais da diferença entre alergia, intolerância e sensibilidade alimentar.

Alergias alimentares: A alergia alimentar é uma reação do seu sistema imunológico, mediada pela imunoglobulina IgE, que ocorre após a ingestão ou contato do indivíduo com um determinado alimento com características alergênicas para ele. Ou seja, é a defesa do seu corpo contra infecções, tratando erroneamente as proteínas encontradas nos alimentos como uma ameaça, podendo assim desencadear diversos sintomas.

  Neste sentido, após a ingestão de um alérgeno, ou seja, uma substância que provoca uma reação alérgica em certos indivíduos, é encaminhado até o intestino onde ocorre a absorção através do epitélio intestinal, o que dá acesso a mucosa e a corrente sanguina. Nesses locais, residem células efetoras imunológicas contendo IgE. Logo, alérgenos alimentares ingeridos interagem com a IgE e seu receptor de alta afinidade (FCER1), que se fixam nos mastócitos e basófilos, levando à ativação das mesmas. 

A interação com os receptores aciona cascatas de sinalização, que se relacionam com a tirosina quinase e levam a exocitose de grânulos dos mastócitos e basófilos. Esses grânulos contêm mediadores da hipersensibilidade, que incluem histamina, triptases e quimases. Em seguida, ocorre a ativação de fosfolipase A2, das ciclooxigenases e das lipoxigenases, acarretando à produção de metabólitos do ácido araquidônico, incluindo leucotrienos, prostaglandinas, e o fator de ativação de plaquetas.


Esses mediadores provocam uma variedade de respostas fisiológicas, como a vasodilatação, o aumento da permeabilidade vascular e a ativação dos nervos que mediam a coceira. Em adição, são sintetizadas e liberadas várias citocinas, incluindo IL-6, IL-33 e TNF-α, que participam da fase tardia da anafilaxia.

Sintomas da Alergia: 

Os principais sintomas da alergia podem ser gástricos, como vômitos, diarréia, dor abdominal, náuseas, coceiras intensas, inchaço da face, erupções/brotoejas, crescente ansiedades e sintomas de anafilaxia. Além desses, uma reação alérgica grave, em últimos casos, pode ser fatal. Agora, após falarmos um pouco sobre alergia, vamos falar sobre intolerância e sensibilidade alimentar.

Intolerâncias alimentares: 

A definição de intolerância alimentar é uma resposta não mediada por IgE, conhecida também como hipersensibilidade alimentar não alérgica. Diferentemente das alergias, as intolerâncias não causam anafilaxia (reações alérgicas graves), que podem ser fatais. Logo, o organismo não consegue digerir completamente algum componente alimentar, provavelmente devido a uma deficiência enzimática do sistema digestivo, ou outro mecanismo desconhecido. Como consequência, são produzidas substâncias que o organismo reconhece como estranhas causando uma reação de hipersensibilidade alimentar. Adicionalmente, trouxemos um exemplo de intolerância alimentar, como a intolerância a lactose. 

Intolerância à lactose:

A lactose é um dissacarídeo (açúcar) presente no leite e derivados. A sua digestão é feita no organismo pela enzima lactase, normalmente presente na membrana das células da mucosa da parede intestinal, que hidrolisa o dissacarídeo lactose em glicose e galactose. Na intolerância à lactose, existe uma deficiência ou diminuição da atividade da enzima lactase, dificultando a completa digestão da lactose. Em seguida, as bactérias do intestino fermentam a lactose não hidrolisada produzindo gases, que por sua vez, causaram dores, desconfortos, e sintomas típicos de indigestão.

Sintomas da Intolerância: 

Os principais sintomas da intolerância alimentar incluem dor de estômago, inchaço, gases/flatulência, diarréia, síndrome do intestino irritável (SII), erupções cutâneas, urticária, úlceras na boca ou dores de cabeça recorrentes. Se as intolerâncias alimentares não são gerenciadas adequadamente, esses sintomas podem afetar adversamente a saúde e o bem-estar geral.

Sensibilidades:

A sensibilidade alimentar é um termo utilizado para determinar reações tardias adversas aos alimentos, levando horas ou dias para as primeiras manifestações dos sintomas.  Nesse caso, as reações, apesar de serem as mesmas de uma alergia, se manifestam de forma mais leve. Também,  estão direcionadas ao sistema gastrointestinal, como diarreia, vômito, enjoos, constipação e o inchaço do abdômen. Concomitante a isso, a sensibilidade alimentar está geralmente associada a doenças, como a doença inflamatória intestinal.    Para um estudo complementar, seguem algumas sugestões:  Blog BF eventos: Preferência alimentar da criança: a amamentação têm efeito? DOI: /10.1038/nrdp201798 DOI: /10.3390/nu11071684


download (2).png
whatsapp.png

+55 3003-0805

+55 61 9831-8817

  • instagram bf eventos
  • facebook bf eventos
  • linkedin bfeventos
  • youtube bf eventos

© 2020 por BF Eventos - Conectando você a oportunidades e conhecimento.

FALCAO Produção de Eventos Culturais Eireli
CNPJ: 12.721.104/0001-74