• Brunno Falcão

Pílula anticoncepcional e desempenho esportivo da mulher


Você conhece a relação entre a pílula anticoncepcional e o desempenho esportivo? Em 2017 a ONU, através do seu departamento “Divisão de Populações” publicou um relatório. No mesmo, foi apresentado com os seguintes dados: “64% das mulheres em um relacionamento estável usam métodos anticoncepcionais para não engravidar.” Você sabe como a pílula age sobre o organismo feminino? Quanto o mecanismo de ação da pílula anticoncepcional interfere na prática esportiva, independente de amadora ou profissional? Fator que deve ser levado em consideração, é a evolução da idade com que a vida sexual se inicia atualmente. Isso faz com que meninas se utilizem deste método ainda na adolescência precoce. Primeiramente, devemos ter em mente que a secreção dos hormônios estrogênio (estradiol) e progesterona (hormônios ovarianos) ocorre em taxas diferentes. Tal secreção é feita de acordo com o ciclo sexual mensal da mulher, também conhecido como ciclo menstrual. Ciclo menstrual De forma resumida, o ciclo menstrual ocorre da seguinte maneira: Em uma média de 28 dias hormônios gonadotrópicos (hipófise anterior) estimulam o crescimento de folículos no ovário, com os hormônios estrogênio, progesterona, LH e FSH envolvidos. Normalmente, um desses folículos amadurece, evoluindo, no 14º dia do ciclo. Durante este crescimento, ocorre a secreção do hormônio estrogênio. Consequentemente, há o desenvolvimento do “corpo lúteo”, este, secreta grandes quantidades de estrogênio e progesterona. Após um período médio de 2 semanas, o corpo lúteo se degenera, promovendo a taxa dos hormônios estrogênio e progesterona. Após isso, ocorre então a menstruação e com isso, se dá o início de um novo ciclo. A pílula A pílula anticoncepcional é constituída basicamente de estrogenio, que é responsável pelo desenvolvimento das características sexuais feminina. Ademais, a progesterona, que por sua vez, prepara o corpo para o cenário de gravidez. A utilização exógena de estrogênio ou progesterona em quantidades adequadas durante a primeira metade do ciclo menstrual, pode impedir o pico de secreção de LH (hormônio luteinizante) pela hipófise no período pré-ovulatório. Processo este que é essencial para que ocorra a ovulação (Leia o artigo – SOP: entenda os fatores envolvidos). O método contraceptivo O método contraceptivo em questão tem como finalidade impedir a ovulação, contudo, junto com esse desfecho, efeitos adversos são inevitáveis. O ciclo, como citado é controlado pelo eixo hipotálamo-hipófise-adrenal e a administração da pílula perturba esse eixo, que leva a um desequilíbrio hormonal. Com a mulher inserida cada vez mais no cenário esportivo o uso da pílula ganha atenção especial e, como principal efeito adverso temos queda da concentração de testosterona. Esta, desencadeia fatores como o ganho de peso, aumento no tempo da recuperação muscular, dificultar a síntese proteica. Isto pode proporcionar um cenário de composição corporal com pouca massa livre de gordura e predomínio do tecido adiposo. Para o estudo aprofundado, consulte o estudo abaixo: DOI: 10.1123/ijsnem.2018-0127



download (2).png
whatsapp.png

+55 3003-0805

+55 61 9831-8817

  • instagram bf eventos
  • facebook bf eventos
  • linkedin bfeventos
  • youtube bf eventos

© 2020 por BF Eventos - Conectando você a oportunidades e conhecimento.

FALCAO Produção de Eventos Culturais Eireli
CNPJ: 12.721.104/0001-74